Bancários e servidores dos Correios cruzam os braços

inc_thumb3
Foto: Allan de Carvalho/ Arquivo JC

Os bancários iniciam greve na manhã de hoje, quinta-feira, 19, por tempo indeterminado. Com a paralisação, todos os serviços realizados pelos funcionários nas agências (como emissão de cartões, pedidos de empréstimos, desbloqueios de contas e aberturas das mesmas) estão suspensos. Só no Banese, mais de 12 mil servidores da prefeitura, além dos funcionários da Assembleia Legislativa, ficarão prejudicados com a paralisação dos bancos. Os servidores dos Correios também decretaram greve no dia de ontem, quarta-feira, 18, e com ela os serviços de entrega de correspondências ficou prejudicado em todo o País.  Dos 1031 carteiros do Estado, apenas 9% aderiram à greve e, apesar da baixa adesão, uma estratégia de contenção de prejuízos foi montada pela empresa para minimizar os impactos causados pela greve.

Hoje, apenas os caixas eletrônicos estarão funcionando e quem não conseguiu realizar ontem os compromissos nas agências reclama. O comerciante Aloisio Silva Ferreira é um deles, pois com os serviços dos Correios e dos bancos paralisados, ele já prevê alguns prejuízos. “Todo ano é a mesma coisa e, para mim, que trabalho negociando, fica complicado. Com os bancos fechados a gente não pode nem resolver um problema que surja, eles pediram pra gente ir até lá com antecedência, mas imprevistos acontecem e aí, como é que a população fica? Só com os caixas funcionando, muita coisa na vida da gente vai ficar parada. Além disso, com a greve dos Correios, minha entregas também ficam prejudicadas, pois com a entrega de correspondências comprometida posso até ficar sem alguma mercadoria, o que significa que eu vou perder vendas”, lamenta.
Já para a dona de casa Gleice dos Santos, o que preocupa mesmo é o atraso na chegada das faturas de cartões e demais contas do lar. “Estou desempregada e por isso a minha maior preocupação é a demora na chegada das contas, pois o dinheiro está curto e pagar as contas que já vem altas, com juros, é ruim. As empresas que cobram não querem saber da greve, o que elas querem é a conta paga em dia. Já estou com duas atrasadas e precisei puxar o boleto pela Internet para não pagar uma terceira com juros”, explica.
E se a greve nos dois órgãos permanecer por muito tempo, não são só as faturas pagas em pontos conveniados aos bancos que vão atrasar, aquelas com valores pagáveis apenas nas agências bancárias também serão afetadas. “Este final de mês vai ser complicado para muita gente se essas greves não acabarem logo, pois com os bancários em greve, muitas contas também vão atrasar, pois alguns valores só podem ser pagos nos bancos. Ou seja, caso as contas cheguem em dia pelos Correios, muita gente não vai conseguir pagar, porque a depender do valor, só se paga diretamente no caixa e são essas que mais preocupam, pois são de valores muito altos. Espero que essa situação se resolva logo, pois não quero ter esse prejuízo a mais”, espera o mecânico Josailto Fernando dos Santos.