Bombeiros alertam sobre riscos de afogamento no Carnaval

Comandante diz que preocupação é também com crianças perdidas

materia-coronel-dorea-corpo-bombeiros301032013O feriadão do Carnaval faz com que aumente o número de banhistas nas praias e piscinas, o que requer cuidados para que não sejam registrados afogamentos. O Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros de Sergipe (Gmar) está alertando as pessoas que vão passar a Festa do Momo em praias ou locais próximo a rios e balneários.

De acordo o comandante do Corpo de Bombeiros de Sergipe, coronel Reginaldo Dórea, os banhistas devem ter cuidado com os locais sinalizados com bandeirinhas, indicando perigo.

“As pessoas devem evitar tomar banho nos valões [pequenas piscinas naturais] formadas nas praias, principalmente na região da Coroa do Meio, pois de repente abrem dois metros de profundidade. É importante que os banhistas verifiquem os locais sinalizados com bandeirinhas”, alerta acrescentando que os casos de afogamento, que estão dentre as ocorrências mais registradas neste período, ocasionados principalmente pela ingestão de bebidas alcóolicas, excesso de confiança e desconhecimento do local de mergulho.

Entre as principais orientações do GMAR, estão o uso de coletes salva-vidas; evitar entrar na água após consumir bebida alcoólica; nadar sozinho, nadar após se alimentar; nunca deixar crianças sozinhas; respeitar as áreas demarcadas para banhistas, observando a sinalização do local; tomar cuidado ao entrar ou saltar em águas desconhecidas e observar que a quadril é a profundidade máxima como referência de segurança.

A orientação é também para quem estiver próximo a uma vítima de afogamento, evitar contato direto, corpo a corpo e ligar para o número 193. Em seguida, deve arremessar objetos flutuantes e utilizar cordas para salvar a pessoa em princípio de afogamento.

Crianças perdidas

O comandante do Corpo de Bombeiros faz um alerta aos pais e responsáveis por crianças, dando conta de que o perigo não está apenas na água.

“A nossa maior preocupação é com crianças perdidas e estamos orientamos pais e responsáveis que não deixem de identificar as crianças com as pulseirinhas impermeáveis, já disponíveis no comércio local, devendo conter nome da criança, endereço e contato telefônico”, orienta lembrando que ano passado, uma criança se perdeu no período da manhã e os bombeiros só conseguiram localizar a família à noite.

Aldaci de Souza/Infonet