Caixa anuncia mudanças no financiamento de imóveis

Agora imóveis novos poderão ter até 80% do valor financiado, enquanto os usados 70%.

Imóveis Caixa Financiamento (Foto: Shutterstock)A Caixa anunciou mudanças no financiamento de imóveis.

Quem está pensando em comprar a casa própria teve uma notícia animadora na última segunda-feira (18). A Caixa Econômica Federal anunciou mudanças em seu financiamento de imóveis e as medidas passam a valer a partir da próxima segunda-feira (25).

Dentre as mudanças anunciadas no financiamento da Caixa, agora, a cota que pode ser financiada nos imóveis usados passou de 60% para 70%. No caso das unidades novas, que valem mais de R$ 750 mil, a cota aumentou de 70% para 80%, através do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

Outra medida adotada pela instituição foi o aumento do valor máximo do imóvel que pode ser financiando pelo banco, que passou de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões.

De acordo com informações do vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antonio de Souza, a decisão de melhorar as condições de financiamento vem para beneficiar o setor da construção, que é o que mais gera emprego e renda, e contribuir para a retomada do crescimento do País.

Também está em análise pela Caixa adotar juros menores em empréstimos com entrada maior e poucas parcelas de amortização. Vale lembrar que em março deste ano, a Caixa anunciou o aumento na taxa de juros.

Imóveis Dúvida (Foto: Shutterstock)É preciso fazer as contas antes de se animar com a notícia.

Será que é o momento de comprar?

Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, a notícia deve ser bem analisada. “Ao mesmo tempo em que o valor limite do imóvel subiu e a porcentagem do financiamento foi esticada, os juros também subiram, o que significa uma dívida ainda maior. É ótimo poder financiar a maior parte, mas é de extrema importância que não se deixe levar pela ansiedade e impulsividade. É preciso analisar minuciosamente as finanças e fazer simulações”, comenta.

Domingos ressalta que outro ponto que deve ser levado em consideração é a atual instabilidade política e econômica do país. “Estamos passando por um momento complicado. É preciso ter confiança extra nas finanças pessoais, estar bem estruturado, ter dinheiro poupado e segurança de que não perderá a renda – ou que, caso venha a perder, tenha reserva financeira para suportar esse contratempo e não comprometer seriamente o orçamento e os planos”.

Para aqueles que não possuem dinheiro agora ou nem sequer estavam com planos de comprar um imóvel, não é interessante fazer uma dívida desse valor no momento. “Não estamos falando de uma peça de roupa em promoção. O momento exige educação financeira, para agir com consciência e sustentabilidade. A melhor alternativa sempre é poupar antes e gastar depois”, finaliza o presidente.