Com divisão de gols, Cruzeiro e Bota consagram artilheiros inusitados

Com maior número de jogadores na lista de goleadores a partir de quatro gols, times são liderados por Ricardo Goulart e Rafael Marques

Por Belo Horizonte e Rio de Janeiro

Líder e vice-líder do Campeonato Brasileiro, respectivamente, Cruzeiro e Botafogo se enfrentam nesta quarta-feira, no Mineirão, e não contam com jogadores entre os três primeiros colocados da tabela de artilheiros da competição. A explicação está na distribuição de gols e, com isso, os times acabam despertando goleadores inesperados depois de 21 rodadas disputadas.

Confira a tabela de artilheiros do Brasileirão

No Botafogo, que tem 35 gols na competição, Rafael Marques, o mesmo que ficou os seus 20 primeiros jogos pelo clube sem fazer gol, tem oito na competição e lidera o time. No Cruzeiro, com 45 no total, Ricardo Goulart soma seis e está à frente, por exemplo, de Borges, que já tem em seu currículo a artilharia do Campeonato Brasileiro de 2011, com 23 gols, pelo Santos.

Na lista de artilheiros do Brasileiro deste ano, o Cruzeiro é o time com maior número de representantes a partir dos quatro gols. São cinco. O Botafogo vem em seguida com quatro, incluindo Vitinho, que já não está mais no clube.

– Já até comentei com o Éverton Ribeiro. É interessante. Não tem só um herói ou um artilheiro. A cada jogo, temos um herói diferente. Contra o Flamengo, foi o Éverton. Depois, eu, contra o Flamengo, o Willian, contra o Goiás, e agora o Nilton. Isso é importante em um grupo. Não tem vaidade – disse Ricardo Goulart.

Nos últimos três jogos, Rafael Marques passou em branco. Sem os gols do seu artilheiro, o Botafogo encontrou em Elias um novo herói. Ele fez o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Criciúma e mais dois para ajudar o time a se consolidar como segundo colocado no Campeonato Brasileiro, com 42 pontos, quatro atrás do Cruzeiro.

Elias, inclusive, já teve a chance de enfrentar o Cruzeiro nesta temporada. Antes de defender o Botafogo, atuou na derrota por 2 a 1 do Resende para o clube mineiro na Copa do Brasil. Agora, encontra uma situação diferente pela frente.

– Mudou muito. É difícil quando você joga em um clube pequeno e enfrenta um grande. Hoje, é totalmente diferente. Jogo ao lado de grandes estrelas e isso facilita mais. As coisas acontecem mais rapidamente, a bola chega mais clara. Isso que faltava e estou sabendo aproveitar essa oportunidade – comentou Elias.

fonte: g1