Delator diz que Temer recebeu R$ 15 milhões e ‘guardou 1 milhão no bolso’

Ricardo Saud, da JBS, disse que repasse foi feito a pedido do PT para financiar campanha de Temer, então vice de Dilma. Dinheiro saiu de cota de R$ 300 milhões do PT; presidente nega.

Ricardo Saud, diretor da JBS, relatou ao Ministério Público Federal que o grupo pagou R$ 15 milhões a Michel Temer para sua campanha à Vice-Presidência em 2014, com dinheiro que saiu de uma 'conta de propina' do PT, abastaecida com recursos do BNDES; segundo o delator, Temer acabou

Ricardo Saud, diretor da JBS, relatou ao Ministério Público Federal que o grupo pagou R$ 15 milhões a Michel Temer para sua campanha à Vice-Presidência em 2014, com dinheiro que saiu de uma ‘conta de propina’ do PT, abastaecida com recursos do BNDES; segundo o delator, Temer acabou

O presidente Michel Temer teria recebido R$ 15 milhões do Partido dos Trabalhadores para financiar sua campanha à Vice-Presidência, em 2014, mas decidiu “guardar” R$ 1 milhão, segundo afirmou Roberto Saud, diretor da JBS, em depoimento ao Ministério Público Federal.

Procurada pelo G1, a assessoria de Temer respondeu: “O presidente não pediu nem recebeu dinheiro ilegal.”

Os detalhes estão em um vídeo de 23 minutos, que faz parte do material divulgado à imprensa nesta sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e baseia um dos inquéritos que apuram atos ilícitos de políticos.

Assista ao vídeo na íntegra acima, e veja abaixo os principais pontos do depoimento.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin determinou a abertura de inquérito para investigar Temer, o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) por corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa.

Crise causada por delação toma conta da agenda presidencial

Crise causada por delação toma conta da agenda presidencial

‘Só o Temer e o Kassab’

De acordo com Saud, além de Temer, Gilberto Kassab, que deixou o governo Dilma em abril de 2016 e passou a apoiar o impeachment da petista, e hoje é ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, também usou dinheiro de caixa 2 de campanha em proveito próprio.

Fonte:G1