Delegacia Interativa registrou quase 78 mil Boletins de Ocorrência em 19 meses

Perda ou extravio de documentos, como CPF, identidade, título de eleitor, carteira de trabalho, cartões de crédito, celular, equipamento eletrônico, entre outros, além de colisão de veículos (exceto motocicleta) sem vítima e ocorrências de danos simples podem ser comunicados à Polícia sem que o cidadão se dirija a uma Delegacia de Polícia Civil. Este tipo de serviço está disponível em Sergipe por meio da Delegacia Interativa, no endereço: www.delegaciainterativa.se.gov.br.

img55c8bcb24e85b-250x166De acordo com o assessor operacional da Delegacia Geral, delegado Kássio Keliton Viana, “assim que é feito o Boletim de Ocorrência via Web, ele é encaminhado pelo sistema à Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal (Ceacrim) para ser verificado e validado”, disse. Durante a verificação, os policiais podem concluir que o registro feito pelo cidadão não pode ser feito pela Delegacia Interativa. “Nesse caso, o Ceacrim entra em contato com a pessoa para que faça o registro em uma delegacia física”, destacou.

Os dados mostram que em 2014, a Delegacia Interativa recebeu quase 50 mil registros de ocorrências. “Desse total, 35 mil boletins foram validados, ou seja, estavam adequados às regras da Delegacia. O campeão de registros é o extravio de documentos, especialmente a perda, com 27 mil boletins; colisão de veículos sem vítimas aparece com três mil registros. Em 2015, já foram registrados mais de 28 mil ocorrências até o mês de julho”, pontuou.

No tocante à comunicação de perda ou extravio de documentos, o cidadão precisa observar as orientações logo na primeira página do site da Delegacia Interativa, pois documentos de veículos, carteiras funcionais e documentos relacionados a empresas não podem ser registrados pela internet. Há documentos que não podem ser registrados nos BOs da Delegacia Interativa: documentos veiculares, notadamente o CRLV e a CNH; notas fiscais; carteiras e carimbos funcionais, com exceção de crachás de empresas privadas; talonários de cheques e carteiras de conselhos regionais (Ex: CRM, CRO, CRN).

Funcionamento

O registro de ocorrências na Delegacia Interativa é feito via preenchimento de formulário que é apresentado gradativamente no site. Por isso, qualquer cidadão a partir de 18 anos pode registrar as ocorrências, preenchendo o formulário e informando os documentos pessoais. Embora o cidadão não esteja diante do policial, é preciso ter atenção redobrada porque caso a informação seja falsa a pessoa responderá criminalmente.

“Caso o boletim seja descartado é porque não pode ser registrado pela internet. Logo, essa ocorrência vai ser registrada em uma delegacia normal da Polícia Civil. Quando a pessoa faz o registro adquire uma senha para acompanhar todo o processo, que começa com o registro e finaliza com a validação do boletim. Essa validação é feita 24 horas após o registro”, explicou Kássio.

Tanto os boletins virtuais quanto os feitos diretamente na delegacia são controlados pelo Ministério Público. Com isso, não existe problema acerca da validade do boletim, sendo a forma como as autoridades tomam conhecimento da ocorrência a única diferença.

Para Kássio, é preciso haver mais divulgação da Delegacia Interativa para que o serviço seja mais difundido. “Uma boa parte dos boletins registrados nas delegacias poderia ser registrado na Delegacia Interativa. Eu não acho que ninguém vá querer ir a uma delegacia podendo fazer o boletim em casa; então se as pessoas vão é porque não têm conhecimento de que existe uma possibilidade de fazer esse serviço na sua própria casa”, mencionou.

Restrição de BOs

img55c8bd0c48541-250x166O delegado Jeferson Alvarenga destaca que a Delegacia Interativa é uma comodidade para o registro de ocorrências simples e que não envolvam violência, ameaça ou danos mais sérios. “Quando há ocorrência com vítima a pessoa tem que procurar a delegacia normal porque ela vai precisar de uma guia de exame médico que é expedido pelo delegado de polícia”, declarou.
“O Boletim de Ocorrência não é importante apenas para a vítima, ele também serve para informar à Polícia sobre onde está acontecendo o crime. Todos os dias as Polícias Civil e Militar apreendem objetos em poder de suspeitos e caso exista um boletim registrado contra uma determinada pessoa fica mais fácil indentificar”, finalizou Kássio.O delegado Jeferson Alvarenga destaca que a Delegacia Interativa é uma comodidade para o registro de ocorrências simples e que não envolvam violência, ameaça ou danos mais sérios. “Quando há ocorrência com vítima a pessoa tem que procurar a delegacia normal porque ela vai precisar de uma guia de exame médico que é expedido pelo delegado de polícia”, declarou.