(descaso) Em Antas-BA moradores do Povoado Areia Branca sofrem com a falta de água

 

O descaso com a comunidade é evidente e desumano
Sol forte, mais de 36 graus, baixa taxa de umidade, pouco vento, terra seca e vegetação escassa. Cenário comum em muitas comunidades do interior nordestino, exceto pelo fato de que a escassez de água não afeta apenas a plantação e a floranatural; a falta é sentida em todas as residências do Povoado Areia Branca que fica distante 18 quilômetros do centro da cidade de Antas, no semi-árido II, do nordeste baiano.
De acordo com moradores, há mais de um ano e meio que a bomba do poço da comunidade apresentou defeito e até omomento a prefeitura não providenciou o reparo.
Diariamente, os moradores da localidade precisam se deslocar de suas residências para buscar água barrenta e contaminada com urina e fezes de animais em açudes e barreiros. As pessoas que não podem pagar por um carro-pipa são obrigadas a beberem diariamente o líquido túrbido e de odor desagradável, colocando em risco a própria saúde, sobretudo quando se tratam de crianças e idosos.
Para o Vereador José Lenivaldo Andrade (PDT), a questão do poço da Areia Branca se tornou rotina e uma vergonha para o município. “Estou muito triste com a administração do Sr. prefeito Vanderlei Santana. Nós precisamos resolver essa questão que se arrasta há um ano e meio. Escuto colegas na Câmara que dizem: “quem mandou eles votarem errado. Essa água da Areia Branca se tornou uma brincadeira, várias autoridades têm ciência disso, mas ninguém toma uma providência, o povo está morrendo de sede. O prefeito está no município para que? Cadê a secretaria de Infraestrutura? Cadê a secretaria de Obras? Cadê os deputados que todos nós elegemos? Cadê o deputado Marcelo Nilo? Conversei com o Sr. prefeito e ele me disse que tem conversado com a Coelba, para liberação de um transformador, tem conversado com a Cerb para liberação de uma bomba nova, mas isso não justifica”.
Para o vereador Andrade, o que acontece é falta de vontade e de gestão. “O prefeito está cometendo um crime contra aquele povo sofrido e pobre. Na hora da distribuição com carro-pipa há escolha; quem votou no prefeito tem prioridade. Lá o Carro do PAC abastece mais quem votou no prefeito do que quem votou contra ele”.
Andrade apelou para que a administração municipal de Antas coloque um carro-pipa de emergência para abastecer aquela comunidade que clama por socorro.
Revoltados com a situação, moradores do povoado estão se reunindo, e caso a situação não seja resolvida, prometem invadir o prédio da prefeitura da cidade e permanecerem lá até que o problema seja sanado definitivamente.
Com informações do Jeremoabo Agora