Gestores de cidades com risco de epidemia da dengue discutem ações

Representantes de 45 municípios esperam reduzir índice de infestação. Siriri, Simão Dias e Feira Nova têm situação mais crítica.
G1 Sergipe
Prefeitos e secretários da saúde dos 15 municípios considerados de alto risco de infestação da dengue e dos 30 municípios de médio risco participam nesta sexta-feira (10) de reunião emergencial para debater as ações de combate à doença. O encontro será realizado a partir das 8h na Fundação Nacional da Saúde (Funasa), na Avenida Tancredo Neves em Aracaju. O secretário de Estado da Saúde, José Sobral, e os técnicos do Núcleo de Endemias vão conduzir o evento.”Os municípios precisam identificar os bairros em que há mais focos de reprodução do mosquito e tomar medidas urgentes, além de solicitarem a presença da Brigada Itinerante e do Carro Fumacê quando for identificado o foco do mosquito transmissor da doença. Os gestores devem usar os meios de comunicação para divulgar campanhas e informar a população sobre o risco da epidemia”, afirma Sidney Sá, gerente do Núcleo de Endemias da SES.

Segundo o Levantamento Rápido de Índice de Infestação (LIRAa), realizado de 3 a 6 de março, os 15 municípios com alto risco são: Siriri (12,4%), Simão Dias (10,4%), Feira Nova (6,6%), Pedrinhas (6%), Tobias Barreto (5,8%), Pinhão (5%), Aquidabã (4,7%), Itabaianinha (4,5%), São Cristóvão (4,5%), Carira (4,6%), Moita Bonita (4,2%), Nossa Senhora das Dores (4,2%), Itabaiana (4%), Maruim (4%) e Nossa Senhora da Glória (4%).

Já os 30 municípios sergipanos com médio risco são: Areia Branca (3,7%), Cedro de São João (3,6%), Capela (3,3%), Salgado (3,2%), Laranjeiras (3,2%), Pirambu (3,1%), Rosário do Catete (3,1%), Umbaúba (3,1%), Arauá (3%), Lagarto (2,9%), Malhador (2,9%), Campo do Brito (2,8%), Tomar do Geru (2,5%), Ribeirópolis (2,5%), Barra dos Coqueiros (2,4%), São Domingos (2,2%), Carmópolis (2,1%), Monte Alegre de Sergipe (2,1%), Aracaju (2%), Frei Paulo (2%), Porto da Folha (2%), Japoatã (1,8%), Poço Verde (1,8%), Poço Redondo (1,8%), Cristinápolis (1,7%), Boquim (1,7%), Japaratuba (1,3%), Neópolis (1,2%), Riachuelo (1,2%) e Estância (1,1%).