Mãe de Fábio Reis passa mal durante ato do MST/SINTESE

Manifesto foi feito em frente à casa do parlamentar em Lagarto nesta terça

Um protesto do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, e do Sintese realizado na manhã desta terça-feira (10) acabou com um tumulto em frente à casa do deputado federal Fábio Reis (PMDB).

De acordo com informações o protesto seguiu pacificamente por diversas ruas do centro da cidade e foi em direção a casa de Fábio Reis localizada na praça Zezé Rocha (3 Poderes).

O deputado que se encontra em Brasília tomou conhecimento por telefone que tanto manifestantes do MST quanto do Sindicato dos Trabalhadores em Educação SINTESE estavam na porta da sua residência gritando ao microfone palavras de ordem e adjetivos como “golpista e traidor” e exigindo a presença do mesmo.

Pichação no asfalto em frente a casa do deputado Fábio Reis.

Segundo funcionários os manifestantes batiam forte no portão e chegaram a bloquear o acesso ou saída ao imóvel.

Em pânico dentro da residência a mãe do deputado, dona Rosimeire Menezes, 59 anos, que estava com a neta de dois anos sofreu um desmaio. Aflitos os funcionários da família não sabiam que atitude tomar diante do portão bloqueado pelos manifestantes e acionaram a Policia Militar.

O próprio comandante major Kleberson Pinheiro esteve pessoalmente ao local, conversou com os líderes e advertiu que aquele tipo de protesto poderia se converter em crime de perturbação de sossego e processo a partir do momento que estivesse direcionado a uma residência específica e aconselhou que eles dispersassem os participantes. O que foi feito logo em seguida.

Com a saída do movimento a mãe do deputado seguiu para o Hospital Regional de Lagarto ande foi medicada e diagnosticada com crise de stress. Por volta das 15h ela esteve na Delegacia Regional de Lagarto para prestar uma queixa contra os movimentos e seus respectivos líderes.

Mãe do deputado prestou queixa na Dlegacia Regional de Lagarto.

Procurado pela nossa reportagem o presidente do Sindicato dos trabalhadores Rurais de Lagarto Ginaldo Correia, afirmou que o protesto era contra o Impeachment da presidenta Dilma, e que eles queriam deixar um recado para o deputado que votou a favor do processo. Ginaldo confirmou que picharam o asfalto com adjetivos, mas negou que tenha havido alteração ou ameaça de invasão como afirmado pelos funcionários. Porem acrescentou que foi embora logo que o protesto chegou até a supracitada e, portanto não viu a sequencia dos fatos.

O que diz Fábio

Por telefone Fábio Reis considerou o ato como “uma covardia”.

“Os lideres tinham conhecimento de que eu estava aqui em Brasília, mas mesmo assim não mediram as conseqüências em promover perturbação de sossego e provocar pânico em uma senhora, e mais uma criança de dois anos. Nesta quarta-feira, através de nossa assessoria emitiremos uma nota oficial sobre as medidas legais que poderemos tomar contra essa irresponsabilidade”, concluiu o deputado.