Mais de 30 pessoas Já morreram afogadas em Sergipe !

O Grupamento Marítimo (Gmar) do Corpo de Bombeiros iniciou as buscas no rio São Francisco, no Povoado Ilha do Ouro, em Porto da Folha (SE), na manhã desta segunda-feira (16) e deve permanecer no local até escurecer. Após 24h do incidente, o corpo da adolescente Antônia Liandra  Santana dos Santos, de 17 anos, continua desaparecido.
De acordo com o tenente-coronel Hector Monteiro, comandante do Gmar, o local com forte correnteza e com muitas pedras tem dificultado o trabalho dos bombeiros. Três mergulhadores dão buscas a área, além de uma equipe por terra. Se não for encontrado pelas equipes, a expectativa é de que o corpo apareça até amanhã, quando subir à superfície.
A jovem está desaparecida desde à tarde do último domingo (15), quando ela e outros quatro jovens faziam a travessia de barco na Ilha do Ouro. A embarcação virou, e apenas quatro dos jovens conseguiram chegar as margens.
Segundo o comandante do Gmar, somente neste final de semana, os bombeiros foram acionados para resgatar três corpos de vítimas de afogamento, um na cidade de Estância, outro em Tomar de Geru e este último caso, no povoado de Ilha do Ouro.
“Já foram contabilizados 33 resgates com vítimas em óbitos somente este ano. É um quadro bastante preocupante. Para evitar fatalidades como essas,  as pessoas precisam utilizar embarcações seguras, além de atentar-se quanto aos riscos de afogamento e necessidade de garantir a segurança nos locais de banho desconhecidos, pois podem encontrar correnteza e não conseguir voltar às margens” ressaltou o tenente-coronel.
Tendo como finalidade o trabalho ou a busca pelo lazer, muitas embarcações utilizadas nesse tipo de travessia não possuem os devidos itens de segurança, como coletes salva-vidas. Além disso, os passageiros não recebem orientações de segurança antes da viagem. O Corpo de Bombeiros ressalta a importância de somente utilizar embarcações que estejam legalizadas pela Marinha do Brasil.
Com informações e foto do CBM/SE