Ministério Públicon instaura inquérito civil e dá ultimato a operadora vivo

Ministério Público de Lagarto instaura inquérito civil e dá ultimato a operadora vivo

O Ministério Público do município deu um prazo de 90 dias para que a operadora Vivo resolvesse os problemas relacionados à má qualidade de sinal na região dos povoados Jenipapo, Brasília, Quirino e Estancinha.

A questão foi levantada depois que os moradores entregaram um abaixo-assinado contendo mais de 600 assinaturas no Ministério Público, em novembro de 2014.

De acordo com informações publicadas nesta segunda-feira no Jornal Cinform, na primeira audiência, no dia 3 de dezembro, a Vivo não mandou representante. O promotor remarcou para o dia 8. Como o promotor mudou de Vara , a audiência ficou suspensa. Quando o promotor substituto Luis Felipe Jordão leu o processo, instaurou inquérito civil e virou uma ação pública contra a Vivo.

Ainda de acordo com informações, o promotor substituto deu um prazo de 90 dias, a contar de 24 de janeiro, para que a operadora resolva o problema. Caso contrário, será obrigada a pagar uma multa diária de R$ 10 mil e mais uma multa de R$ 100 mil. O sinal que estes povoados recebem vem de uma torre situada em Campo do Brito e já chega fraco à região.

Com informações do Cinform