Mundinho da Comase é indiciado por lavagem de dinheiro e peculato

Irmãos Augifranco e Ygor Vasconcelos também foram indiciados. Inquérito que investiga destino de verbas é parcialmente concluído

Mundinho-da-Comase-é-indiciado-por-lavagem-de-dinheiro-e-peculato-250x188
Mundinho fez acordo de delação premiada após ser preso e revelou esquema (Foto: Amós Meneses)

O inquérito policial que investiga o destino das verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa doadas pelo ex-deputado estadual, Raimundo Vieira, o Mundinho da Comase, à Ala Jovem de Lagarto, está parcialmente concluído, de acordo com a delegada Danielle Garcia, do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap).

Segundo ela, a próxima etapa é encaminhar o inquérito ao juiz da Comarca de Lagarto que vai investigar e enviar para o Tribunal de Justiça.

A delegada acrescentou que outras diligências só poderão ser realizadas com autorização do Tribunal de Justiça de Sergipe ou diretamente pela Procuradoria Geral de Justiça e que os encaminhamentos já foram providenciados pela Deotap.

Além de Mundinho, também foram indiciados os irmãos Augifranco Patrick de Vasconcelos e Ygor Henrique de Vasconcelos. Os três foram presos preventivamente no dia 29 de julho e soltos na noite do sábado (1º). Eles fizeram acordo e assinaram termo de delação premiada, revelaram como o esquema de corrupção funcionava e foram indicados por lavagem de dinheiro e peculato.

Novos depoimentos
Nesta terça-feira (4) representantes de três associações do interior do estado, quer não foram convocadas, entraram em contato com os procuradores do Grupo de Combate a Improbidade Administrativa do Ministério Público Estadual de forma voluntária para falar e relevaram que receberam dinheiro da Assembléia Legislativa e confirmaram que parte do dinheiro foi devolvida para alguns deputados.

Subvenções
As subvenções sociais eram uma verba que os deputados estaduais tinham à disposição para ajudar instituições filantrópicas e sem fins lucrativos. Desde o ano passado a Polícia Civil e os Ministérios Públicos Estadual e Eleitoral investigam denúncias de desvio do dinheiro. De acordo com as denúncias, um esquema foi descoberto onde o dinheiro que era indicado para instituições e associações acabava voltando para os deputados.

Fonte: Fredson NavarroDo G1 SE