POÇO VERDE TEM 17 CASOS DE AIDS; O NÚMERO PODE SER MAIOR

encontro saudeUma informação deve ser motivo de preocupação para o poço-verdense e de ação para Secretaria Municipal de Saúde: de acordo com o coordenador do Programa Estadual DST/Aids, dr. Almir Santana, Poço Verde tem 17casos de Aids no município. Isso apenas do grupo identificado após exame clínico, pois esse número pode ser maior haja vista que muitas pessoas do grupo de risco relutam em fazer o teste de HIV e ser vítima de preconceito da comunidade. E mais: há ainda quem se envolve com infectados e não sabe se faz parte do grupo de alto risco ou não.
Num encontro com profissionais de saúde, diretores de escola e professores de Ciências na manhã desta terça-feira (27) no polo do Preuni, Almir alertou para o fato de não existir uma política pública com o objetivo de identificar mais casos principalmente numa região como a nossa tão perto de outras áreas de risco como os municípios baianos de Fátima e Agustina, que não têm programa de saúde focado na área das DSTs. Almir argumenta ainda que Poço Verde tem um outro fator intrigante: o consumo exagerado de bebidas alcóolicas – o que leva à prática de sexo sem camisinha. Em janeiro deste ano, por exemplo, 58 jovens foram levados à emergência da Clínica de saúde justamente por excesso de álcool.

 

Em Sergipe, os municípios de Aracaju, N. Sra.do Socorro, Itabaiana, S.Cristovão e Lagarto são os maiores em incidência de Aids. Ainda de acordo com Almir Santana,  83% dos casos notificados são de pessoas com idade entre 20 e 49 anos. Ele ainda faz outro alerta para uma incidência de casos de sífilis e hepatite C no município. A Secretaria municipal de Saúde tem de promover campanhas educativas para conscientizar a população a respeito. A parceria com a área da Educação poderia estimular o alunado a levar o próprio copo para tomar água no bebedouro. O risco de contaminação pode aumentar o número de casos de doenças do gênero quando jovens compartilham do mesmo copo na escola. Outra forma de prevenção é conscientizar o jovem e os pais de levarem a própria lâmina ao barbeiro pois o risco de se contaminar com o compartilhamento do “gilette” com outros homens é grande. Muitas mulheres, por exemplo, levam o alicate quando vão a manicure pelo mesmo motivo.
dicas02Num mundo onde a juventude inicia a vida sexual cada vez mais cedo e alguns não se previnem, urge outro trabalho de conscientização maior pois o risco é notório. A pareceria entre Saúde e Educação podem motivar outras pessoas a procurarem o médico e solicitarem o exame do HIV. Afinal, motivos não faltam para isso!
Clique na imagem e veja como podemos pegar ou não o vírus HIV.
Fonte: CNNPV