Ponte sobre o Rio do Sal será interditada nesta quarta-feira

Estrutura vai passar por serviço de recuperação.
Trabalhos serão iniciados às 23h30 e seguem até às 3h30 da quinta.

Ponte sobre o Rio do Sal (Foto: Jorge Reis/ Seinfra)Ponte sobre o Rio do Sal (Foto: Jorge Reis/ Seinfra)

A ponte sobre o Rio do Sal, entre o bairro Lamarão, em Aracaju, e o Conjunto João Alves Filho, em Nossa Senhora do Socorro, será interditada nos dois sentidos no final da noite desta quarta-feira (25) até a madrugada desta quinta (26).

Os trabalhos terão início a partir das 23h30 da quarta-feira e vão até as 3h30 da madrugada da quinta. Os serviços fazem parte da recuperação da estrutura da ponte, que possui 287,30 metros de extensão por 13 de largura, e, além dos 10 pilares, terá os dois guarda-corpos, passeios laterais e iluminação revitalizados, além da execução dos serviços de drenagem.

Segundo a Secretaria de Estado da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra), a obra recebeu R$ 1.008.001,59 em investimentos, provenientes do Programa Sergipe Infraestrutura.

Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Valmor Barbosa, fatores climáticos impediram com que os serviços pudessem ser adiantados. “Depois da concretagem dos três pilares na madrugada do dia 15 de abril, estimava-se que em 15 dias pudéssemos concretar mais quatro pilares, porém, a alteração da maré além de impedir a execução dos trabalhos, destruiu toda a plataforma onde os operários realizam a ação, o que, inevitavelmente, comprometeu o cronograma”, revela.

Valmor Barbosa diz ainda que a ação será similar à ocorrida no mês passado. “Mais uma vez utilizaremos um carro-bomba e uma betoneira que, de cima da ponte lançará o concreto para o interior dos pilares. Como o período de aderência e secagem do material é de aproximadamente três horas, a passagem para veículos e transeuntes será liberada sem que haja qualquer tipo de transtorno”, explica.

O secretário acrescenta que ocorrendo a concretagem dos quatro pilares, os serviços ficarão próximo do término. “O último pilar a ser concretado fica em terra firme, não sendo necessária toda essa logística operacional. Com o fim da concretagem, recuperaremos as placas e o guarda-corpo do outro passeio e finalizaremos os últimos reparos”, ressalta.

*Com informações da ASN