Preço médio do litro da gasolina sobe 20,8%

O preço médio cobrado pelo litro da gasolina vendida em Sergipe no ano passado subiu 20,8% em relação a 2014. A análise faz parte do Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE), da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (Fies) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Em dezembro último, a cotação média do combustível ficou em R$ 3,617, subindo 2,3% em relação ao mês imediatamente anterior (novembro/2015). Valores e variações em termos absolutos, ou seja, sem considerar a inflação do período. Observou ainda que no ano passado houve elevação no preço médio de todos os combustíveis.

Para o etanol, o aumento foi um pouco menor que o da gasolina, com elevação de 17,1% no preço médio praticado em 2015 sobre o ano anterior. No último mês do ano, o álcool apresentou um preço médio de comercialização situado em R$ 2,934. Já o óleo diesel foi o que apresentou menor variação, registrando alta de 14,9% no preço médio cobrado em 2015. Em dezembro do ano passado, o preço médio praticado ficou em R$ 2,940, mantendo-se praticamente estável, ficando 0,6% maior que o registrado em novembro de 2015.

Para o GNV, o preço médio praticado registrou avanço de 19,9% em relação a 2014, fechando o último mês de dezembro cotado a R$ 2,257. O GLP, ou gás de cozinha, foi o que apresentou maior variação, subiu 24,3% em 2015, na comparação com o ano anterior. A média da última cotação de 2015 ficou em R$ 53,38.

Nossa Senhora do Socorro

Na primeira semana de janeiro, segundo levantamento semanal da ANP, o preço médio do litro de gasolina para o consumidor na capital sergipana foi de R$ 3,654, enquanto na distribuidora foi de R$ 3,202. O preço mínimo foi de R$ 3,549 e o máximo de R$ 3,869 nos postos analisados em Aracaju.

Dos quatro municípios pesquisados, Aracaju, Itabaiana, Lagarto e Nossa Senhora do Socorro, o litro de gasolina mais caro foi registrado nos postos de Nossa Senhora do Socorro, com preço médio R$ 3,782.

Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Sergipe (Sindpese), Mozart Augusto de Oliveira, inicialmente não há previsão de aumento para o próximo mês, porém não garantiu que possa haver mudança. “É difícil prever. Mas esperamos que o governo tenha pena de nós e do consumidor”, comentou.

Por: Paulo Rolemberg/ Equipe JC