Professores do IFS são processados por acumulação de cargos

Dois professores do Instituto Federal de Sergipe (IFS) IFSforam processados pelo Ministério Público Federal (MPF) por acumulação indevida de cargos.
Os dois, que foram contratados pelo IFS em regime de dedicação exclusiva, trabalharam por mais de sete anos como professores na iniciativa privada.
Cada um dos professores recebeu mais de R$ 130 mil do IFS a título de gratificação pelo regime de dedicação exclusiva. Um confessou ter trabalhado em uma faculdade particular e informou ao MPF que já havia parcelado a devolução aos cofres públicos do montante recebido indevidamente.
Nas ações, o Ministério Público requer que ambos sejam condenados à perda dos valores acrescidos ilicitamente, ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o Poder Público.