Romance “Simão Dias”, de Aline Paim será lançado em Edição comemorativa

alinapaim“Silenciosa, talentosa e paciente, essa romancista sergipana, construiu seu mundo sem pressa, jamais se desligou do interesse humano, do sentido político e social de suas histórias e de seus personagens”. As palavras do pesquisador Gilfrancisco, responsável pela organização do lançamento de edição comemorativa dos 66 anos da 1ª edição de “Simão Dias”, ajudam a dimensionar a importância da escritora no cenário intelectual de Sergipe, àquela época.

Ciente de sua vocação literária e disposta a seguir trilha, Alina Paim optou pelo romance – seu interesse maior e único -, não se deixou tentar pela atração do conto, nem da crônica, nem mesmo do artigo de jornal. Mesmo tendo estreado aos 23 nos, o tempo lhe assegurou o necessário capital de experiência e observação, indispensáveis para todo romancista.

Alina Paim nasceu em Estância, com três meses de idade mudou-se para Salvador. Ao perder a mãe foi residir em Simão Dias, morar na casa dos avôs paternos. Na cidade fez os estudos preliminares na Escola Menino Jesus e, dos sete aos dez anos, freqüentou o Grupo Escolar Fausto Cardoso, onde recebeu formação religiosa. Mudou-se para Salvador. Casou-se em 1943 e mudou-se para o Rio de Janeiro, em 1944 foi publicado seu primeiro romance, Estrada da Liberdade, com enorme repercussão nos meios literários e de público, esgotando-se em quatro meses a primeira edição. O livro retrata a vida de uma professora cheia de idéias, em contato com a amarga realidade de sua comunidade de bairro proletário, onde tenta aplicar métodos modernos de aprendizagem.

Simão Dias – Neste livro, Alina retrata parte de sua infância e adolescência, compartilha com o leitor suas memórias sobre o cotidiano desta cidade do estado de Sergipe. Orientada pelo amigo Graciliano Ramos, Alima mantém o teor autobiográfico do romance, não substituindo os verdadeiros nomes dos personagens, no intuito de aproximar o leitor do cotidiano da cidade e de seus habitantes nomeados no relato.

A obra será relançada pela Segrase (Serviços Gráficos do Estado de Sergipe)

Fonte: Jornal do Dia