Suspeito de matar a ex-mulher se entrega após um ano foragido em SE

 

Investigações o apontaram como autor do crime ocorrido em julho de 2012.
Vítima foi morta com 14 facadas. Corpo foi encontrado em Santo Amaro.

 

Suspeito de matar a ex-mulher se entrega após um ano foragido em SE (Foto: Flávio Antunes/ G1)Suspeito de matar a ex-mulher se entregou, mas não confessou o crime (Foto: Flávio Antunes/ G1)

Márcio Roberto Silva Porto, de 33 anos, suspeito de matar a ex-mulher no município de Santo Amaro das Brotas (SE), a 37 km de Aracaju, se entregou à polícia após ficar mais de um ano foragido. Na manhã desta sexta-feira (27), os detalhes do crime e da prisão foram apresentados pela Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci).

saiba mais

De acordo com a delegada Mariana Amorim, o suspeito não aceitou o fim do relacionamento com a vítima, ocorrido no dia 22 de julho de 2012, e no dia seguinte entrou em contato com a ex-esposa, pois gostaria de conversar pessoalmente com ela.

“A vítima atuava como corretora de imóveis e tinha ido com a tia ver um terreno no dia 23, quando recebeu a ligação do suspeito. Depois disso, os familiares não viram mais a jovem e acionaram a polícia”, disse.

O corpo da mulher foi encontrado pela tia, que junto com familiares, realizou buscas pelo Povoado Angelim, onde a jovem tinha sido vista pela última vez. O corpo com 14 perfurações de faca estava em uma vala.

"As investigações confirmaram o suspeito como autor do crime", disse a delegada Mariana Amorim em Aracaju (Foto: Flávio Antunes/G1)“As investigações o apontaram como
autor do crime”, disse a delegada Mariana Amorim
(Foto: Flávio Antunes/G1)

“Ele alegou querer conversar, mas ao se encontrar com a vítima a levou para um local afastado, uma região de areal, onde cometeu o crime. Desde então, ele desapareceu do município e após investigações localizamos o suspeito, que a essa altura, já era confirmado como autor do homicídio e em contato com o advogado dele, nos negociamos sua rendição e ele decidiu se entregar”, afirmou a delegada.

Apesar de ter se entregado, Márcio Roberto, não confessou o crime e disse que a prisão dele foi arquitetada pela família da ex-esposa, que era contra o relacionamento, por ele ser usuário de drogas. “Eles sempre foram contra nossa relação e me acusam pelo assassinato. Mas, não tenho nada a ver com o crime”, afirmou.

 

 

fonte:g1