Veja 7 dicas para ajudar seu filho a perder o medo do escuro !

Crianças e o medo do escuro formam uma dupla bem conhecida em algumas famílias. Basta o pai ou a mãe desligar o interruptor da luz do quarto e pronto, está instalado o caos para a criança. Essa escuridão vira reino de bichos, de barulhos assustadores, de sombras que se transformam em monstros e por aí vai. A boa notícia é: sim, esse medo é natural e faz parte do desenvolvimento infantil. A má notícia é que pais e mães, querendo ajudar, reforçam ainda mais esse medo do escuro nos filhos.

“Muitas crianças menores, de três anos, por exemplo, sentem que o desconhecido [no caso o escuro] representa uma ameaça já que não podem controlar aquilo que não entendem, nem conhecem. Além disso, o mundo da fantasia e da realidade se confundem nessa fase”, explica Christine Bruder, psicóloga especialista em desenvolvimento infantil. Portanto, fica aqui uma dica valiosa: nada de menosprezar o medo da criança (“Que bobagem, não tem monstro nenhum, seja valente”); usar este sentimento para conseguir que o seu filho tenha uma atitude à força (“O monstro vai te pegar se você não for dormir”); ou expô-lo ao medo de forma proposital (“Vou colocar no quarto escuro para você aprender a não ter medo”).O ideal, neste caso, é que os pais evitem ainda comparações com outras crianças de forma pejorativa, com frases do tipo “seu amigo dorme sozinho e não tem medo e só você tem essa mania de fingir que tem medo”. “Quando o pequeno manifesta o medo podemos demonstrar aceitação e auxiliá-la a nomear a emoção que está sentindo. Após isso, ele dará o primeiro passo na busca por alternativas para lidar com isso”, afirma Eliana de Barros Santos, psicóloga e diretora do Colégio Global.

A psicóloga Christine Bruder reforça ainda que esse medo do escuro só não será mais natural se a criança tiver dificuldade de ser acalmada e ficar descontrolada frequentemente. “Deixe seu filho expressar, explicar, mostrar o medo e sugira que, juntos, combatam o “perigo”, que pode ser o lobo, a bruxa, o monstro, etc. Mostre que a criança mesmo tem recursos para enfrentar seus medos e que também poderá contar com o adulto para ajudá-lo”, diz Christine. Quer ver algumas dicas para incentivar seu filho a lidar com o medo do escuro?