Ventilador de teto cai e quase atinge aluna em lagarto

Ventilador de teto cai e quase atinge aluna no Polivalente
Por pouco alunos, professores e funcionários não testemunham uma tragédia no colégio lagartense.

“Você nasceu de novo”. Foi o que ouviu uma aluna do 1º Ano “A” da Escola Estadual Professor Abelardo Romero Dantas, o Polivalente, em Lagarto, na manhã desta quarta-feira (8), depois que um ventilador de teto caiu a poucos centímetros dela. Um grande susto ocasionado pela péssima estrutura da escola e que quase custa a vida de uma pessoa.

Quem deu detalhes do que ocorreu foi uma estudante da mesma sala. Ela prefere não se identificar, mas contou que o incidente foi muito próximo de uma tragédia. “São dois ventiladores. Ela estava sentada embaixo de um deles quando o ventilador caiu em cima da mesa dela”, disse a aluna, que acompanhava a aula de Biologia, durante o terceiro horário, no momento do susto.

Além de ter quase atingido uma estudante, a queda do ventilador ainda ocasionou um curto-circuito, conforme revelou a aluna. “Na hora todo mundo se assustou. E quando teve o curto-circuito todo mundo saiu correndo”, disse. O restante da aula foi realizado em outro ambiente.

De acordo com a aluna, os dois ventiladores da sala de aula já apresentavam defeitos. Além do mais, outros problemas elétricos já foram verificados pelo menos duas vezes ano passado quando curtos-circuitos assustaram os estudantes.

As condições do Polivalente são precárias. Quadra poliesportiva sem condições de uso, salas de aula deterioradas, muito mato e várias goteiras por todos os ambientes da escola quando chove são os problemas de maior evidência.

No final do mês passado, os estudantes foram surpreendidos com a informação de que teriam que deixar o prédio por conta de problemas estruturais e remanejar a escola para outro imóvel. Mas por enquanto o que se sabe é que as aulas continuam no atual local.

A redação do Portal Lagartense tentou entrar em contato com a professora Corália Araújo, coordenadora do colégio, que, de acordo com o relato da aluna, foi uma das primeiras funcionárias a chegar logo após o incidente, mas ela não atendeu às ligações. O portal também tentou contato com o diretor regional de educação Marcelo Mesquita, mas também sem êxito.

 

 

 

fonte:lagartense