Violência, medo constante

A violência é uma constante em nossa rotina. Deixou de ser “exclusividade” dos bairros periféricos, invadindo centros comerciais, bairros residenciais, universidades. Nenhum lugar é seguro.

Os bandidos que antes se esgueiravam nas ruas vazias e escuras para suas práticas criminosas, agora atuam sem o menor pudor nas ruas mais movimentadas. Diante da perplexidade e apatia das pessoas em volta, cometem suas atrocidades, roubam, agridem e até matam. Estamos cada vez mais vulneráveis.

O sentimento de revolta da população é abafado pelo medo. Não dá para ser solidário com alguma vítima, pois você também pode ser atacado. E vêm os questionamentos, quando a sociedade se livrará da ousadia dos criminosos, quando andaremos em segurança, quando os bens serão adquiridos sem o receio de que sejam levados. “Vivemos esperando dias melhores”.

 

Por Joyce Oliveira